Programação Rádio Brasil 92FM

06:00

Alvorada Sertaneja

Jonas Bonassa Sabiá

08:00

Manhã Brasil

11:00

Voz da Cidade

Jornalismo

13:00

Tarde Brasil

17:00

Crepúsculo Sertanejo

19:00

Voz do Brasil

20:00

Noite Brasil

00:00

Madrugada Brasil

00:00

Na década de 1945, época em que esta região era ainda sertão em fase de colonização e criação de seus primeiros municípios, o pioneirismo dos irmãos Pedroso – José Correa, Abel e Sinézio – cria a Rede de Emissoras Brasil, com sede em Campinas e filiais em cidades do interior do estado, como Adamantina, Dracena, Santo Anastácio, Santa Bárbara d´Oeste e Tupi Paulista.

Em comum acordo entre sócios e emissoras da Alta Paulista, após alguns anos desmembra-se da rede. O comando de todas as rádios do Grupo é então assumido pelo deputado José Correa Pedroso Júnior.

Posteriormente, as emissoras foram vendidas para funcionários ou gerentes capacitados a continuar o trabalho.

Aqui começa a gloriosa história da Rádio Brasil de Adamantina, que “entra no ar” em caráter experimental no dia 18 de dezembro de 1948, antes mesmo de a cidade se tornar emancipada político-administrativamente, o que veio a ocorrer em 1º de abril de 1949. Porém, o aniversário da emissora é comemorado no dia 30 de setembro do mesmo ano. Tal período foi necessário para que se conseguisse a documentação exigida, a fim de operar em definitivo. E é nessa data, às 10h00min, em grande solenidade, com a presença de autoridades da cidade e do Estado de São Paulo – no prédio construído, na Avenida Santo Antônio, que o proprietário José Correa Pedroso Júnior aciona o transmissor da Rádio Brasil, na frequência de 1510 KHz, e diz: “Que deste instante para sempre, esta emissora nunca pare de funcionar!”.

Apesar dos obstáculos – poucos anúncios e alto investimento sem retorno – Pedroso Jr. acreditou na evolução do rádio adamantinense, lutou e participou de todas as conquistas em benefício do povo em suas jornadas memoráveis.

O primeiro gerente da emissora foi o cunhado de Abel Pedroso. Enio Rocha foi o segundo e, Octavio Cesc, o terceiro. Em 1953, é contratado, a fim de modernizar a programação, um dos mais importantes personagens da história da Rádio Brasil: Newton Barreto. Ele havia trabalhado nas principais emissoras da cidade de São Paulo. E foi quem possibilitou a iniciação de José Mário Toffoli no rádio (1955), o maior repórter da história de Adamantina.

O Advogado Dr. Fauser Antônio dos Santos, profissional importantíssimo na história da emissora, é chamado por Pedroso Jr. para assumir a gerência em 1959 e preparar a construção de um novo prédio para a rádio, com muitas salas para os profissionais e um auditório para 500 pessoas. O engenheiro desta grande obra foi Capitão José Antônio de Oliveira.

O novo prédio é inaugurado em 30 de Setembro de 1963, na Alameda Armando Salles de Oliveira nº 575, onde está localizado até os dias atuais, em modernas instalações. E neste dia, havia lá um menino franzino com sua caixa de engraxar sapatos, e que sonhava em trabalhar no rádio. E assim a Providência Divina permitiu… Em 31 de outubro de 1967 estreia o jovem Jonas Bonassa, com apenas 16 anos, o qual viria a se tornar o grande sucesso do rádio do interior paulista, com o fenomenal programa de auditório Sabiá Um Show à Parte, sendo promovido a subgerente da emissora.

No ano de 1979, Pedroso Jr. vendeu a Rádio Brasil para os adamantinenses Fauser Santos, Jonas Bonassa e José Mário Toffoli, militantes na emissora há anos.

No alvorecer da década de 1980, a emissora passou por uma reformulação total em equipamentos, um novo transmissor é adquirido e a frequência passa a ser 790 KHz. Ocorre à dinamização da programação, com ênfase nas reportagens, transmissões esportivas, políticas, culturais e religiosas, sendo uma das primeiras emissoras do interior a transmitir jogos de futebol e eventos ao vivo dos estádios Morumbi e Pacaembu em São Paulo.

Fauser Santos e José Mário Toffoli decidem vender suas ações da Rádio Brasil para Jonas Bonassa. Assim a família de Jonas – composta pelos filhos Fábio, Flávio, Fernando, Fabrício e Fagner – assume integralmente em 2 de Janeiro de 1994 a direção da Rádio Brasil de Adamantina, época em que foi criado o GJC (Grupo Jóia de Comunicação) formado pelas rádios Brasil AM, Jóia AM, 93 FM (em Adamantina) e NOVA 102 FM (na cidade de Garça).

O GJC revoluciona o rádio, substituindo todo o antigo sistema analógico: toca-discos, tape-deck e os lendários gravadores Akai por computadores de última geração, sendo informatizada a sua programação musical e comercial.

 

No início do século XXI, Fabrício Bonassa, um dos 5 filhos de Jonas, torna-se responsável pela Rádio Brasil, momento em que a emissora adquire o transmissor de Estado Sólido. Há o aumento da altura da torre de transmissão, levando assim o nome de Adamantina para muito mais longe. Em 30 de setembro de 2005, enfim, todas as fronteiras e distâncias terminaram com a era da internet. A Rádio Brasil de Adamantina, que começou de um sonho na alta zona da mata no final da década de 1940, com pequeno alcance de transmissão, passou a transmitir sua programação para o mundo todo em qualidade HDRádio, (digital) pelo site radiobrasilam.com.br.

A busca por melhor qualidade para o Rádio AM continuou sempre. Em 10 de maio 2016, saiu à autorização da migração do AM (amplitude modulada) para o FM (frequência modulada). E assim a Rádio Brasil, com sua tradicional programação nos 790 KHz, passou a operar em 92,5 MHz, e pelo site www.brasil92fm.com.br, em 30 de Setembro de 2016.

Com a vinda para a FM, a Rádio Brasil de Adamantina encerra mais um longo capítulo em sua gloriosa história. Porém aqui não é o fim, e sim o começo de uma nova batalha, a preparação do ápice: a Era Digital do Rádio, no país!

Acompanhar todas as tendências tecnológicas é definitivamente um compromisso da “Super Brasil”, que está sempre à frente da comunicação. E, como desejou José Correa Pedroso Júnior, “que esta emissora nunca pare de funcionar!”. Continuamos em frente… Em busca do melhor, sempre!